Negócio em Sociedade – como fazer para dar certo

Charbel Atalla Antonio

Uma sociedade firme e forte é uma sociedade que pode ser facilmente desfeita!


São dois os aspectos principais para uma sociedade dar certo:

1. Relacionamento

É a base de tudo – e, geralmente, também o motivo do fim de tudo.

De maneira geral não temos grandes problemas nos nossos relacionamentos sociais. Então porque em sociedades empresariais (e outras) isso é tão comum?

O problema, a dificuldade, não é o relacionamento em si, e sim, as circunstâncias, as condições em que ele ocorre.

Analise qualquer conflito de relacionamento e você verá que, na verdade, o problema é principalmente o potencial das conseqüências das soluções possíveis. Este sim, é o ponto principal – as possíveis conseqüências das alternativas do entendimento. Explícitas ou veladas, comumente elas são prejudiciais ou até inaceitáveis, para uma das partes, ou mesmo para as duas.
Nesta situação, a razão, o bom senso, o equilíbrio, a boa vontade, tudo parece se tornar impotente.
É a situação também conhecida por “rabo preso”.

Onde está a solução então?

A solução está na origem. Na origem da sociedade. Na estrutura da sociedade.
Uma sociedade firme e forte é uma sociedade que pode ser facilmente desfeita. Pelos sócios – qualquer um deles.
Paradoxo? Não! – muito pelo contrário. É o melhor fundamento para uma sociedade dar certo.

Imagine-se decidindo um investimento de alto risco na empresa, com um sócio para quem o sucesso do negócio é “questão de vida ou morte”... Imagine!
Ou, pense porque a felicidade parece ser tão mais comum no namoro que no casamento...

2. Dinheiro

Nas sociedades que geram lucro – dinheiro – surge um “problema”:
Como dividir o resultado, de forma justa?
O comum “meio a meio” normalmente passa a ser considerado injusto em pouquíssimo tempo.
Afinal, você trabalha muito mais que ele(a)...

Novamente a questão está na origem da sociedade. Agora não na estrutura, mas no conceito, ou melhor, em dois conceitos.
O primeiro é sobre como dividir o lucro. O segundo é sobre os honorários.
A primeira coisa é entender que existem, que devem existir, os dois. Não juntar, não confundir as coisas.

O lucro deve ser dividido na proporção do capital de cada sócio. Simplesmente isso. O cuidado deve ser para que o capital de cada um seja efetivamente real, correto, justo. Se você está entrando com 5 mil e seu sócio também com 5 mil, porém você já tem uma boa carteira de clientes e um bom conhecimento técnico, e seu sócio, além do dinheiro, apenas a boa vontade, recomendo discutir e negociar isso antes: você pode lhe vender esses “bens”, eles podem entrar na composição do capital, alterando ou não a proporção. O importante é discutir, negociar e chegar a um bom acordo antes de firmar o contrato!

Os honorários dos sócios devem ser correspondentes ao trabalho de cada um. Simplesmente isso, também. E, o cuidado aqui, é fazer isso de forma muito realista. Realista perante o mercado. Se você trabalhar como um diretor, você deve ganhar como um diretor. Se trabalhar como office-boy, deve ganhar como um office-boy. Se for meio período, é meio período. A melhor conduta é avaliar quanto se pagaria a um profissional, um empregado, para fazer a mesma coisa. Se você estiver trabalhando como office-boy e não aceitar ganhar menos que um gerente, despeça-se (como empregado) e contrate um – ao preço de mercado – isso é justo, profissional, e saudável, para a sociedade, para a empresa.


Comentários Gerais e Recomendações

• Tudo o exposto acima deve ser considerado idealmente antes da formação de uma sociedade. Porém, geralmente também é viável de se aplicar a sociedades já existentes. Aliás, muitas vezes é uma das poucas alternativas para evitar um encerramento... Com conscientização, boa vontade, e um bom Plano de Ação, os resultados podem ocorrer até muito rápido. Pois é, se lá no início do artigo, após a pergunta “Onde está a solução, então?”, você quis responder “soltar o rabo” – no bom sentido – acertou!

• A condição de uma sociedade poder ser facilmente desfeita inclui também a “saúde” da própria empresa – o que merece sempre a maior das atenções. Ela tem que ser “liquidável” a qualquer momento – senão os problemas de relacionamento dos sócios se estenderão até aos seus empregados. Qualquer desvio desta condição deve gerar providências imediatas.

• É interessante ressaltar que a composição do capital pode ser alterada futuramente. Discutir, estabelecer, ou até planejar antecipadamente como isso poderá ocorrer também é bastante saudável para a sociedade.

• O Operando Bien tem mais artigos relacionados aos assuntos abordados acima: veja também Tomada de Decisão e Matriz de Responsabilidades, entre outros.



Gostou do Operando Bien?
Se desejar, você pode retribuir ou colaborar.

e, se você for dar uma festa,
promover um evento, não importa o tamanho,
garanta seu sucesso com a
>>> Se você tiver perguntas ou quiser colaborar para o assunto com seu conhecimento e experiência, me mande um email ou publique aqui o seu comentário.

13 comentários:

Anônimo disse...

GOSTEI DO SEU TEXTO MAS NÃO ENCONTREI SOLUÇÃO PARA O MEU PROBLEMA NELE,TENHO UM SÓCIO A 1 ANO E TEMOS DUAS LOJAS , O PROBLEMA QUE ENFRENTO É QUE A ESPOSA DELE TRABALHA COM NÓS E ATRAPALHA MUITO , TUDO QUE VOU CONVERSAR COM MEU SÓCIO ELA APAREÇE E QUER OPNAR, ELE TBM DEPENDE DELA PARA TUDO, NUNCA FECHAMOS NADA SEM ELE PEDIR A OPNIÃO DELA , EU FICO PUTO COM ISSO, QUANDO TEM ALGUM PROBLEMA NA EMPRESA , COM CERTEZA ELA DEFENDE E OLHA O LADO DELE. O QUE FAÇO ?

marcela disse...

vc é sócio dele ou dela, coloque as coisas no seu devido lugar, tenha pulso firme e converse com seu sócio ou aguente isso pro resto da sua sociedade.

Fálcons Rafalski disse...

É venho aqui para que possa tirar-me uma duvida, o que ocorre é que estou querendo abrir uma siciedade de manutenção em micro computadores com um amigo meu. So que ele veio com uma proposta da seguinte forma. Ele tem os clientes dele e eu tenhu os meus certo? Então ele propos os seguinte que quando um cliente dele chegar e pedir para ele fazer um serviço e so ele fazer o lucro sera todo dele e o mesmo ocorrera comigo. So que eu propus da seguinte forma iriamos trabalhar e tudo que arrecadarmos durante todo o mês seria dividido em ambas as partes.(não que eu aceite a proposta dele so quero mesmo é tirar uma duvida ou melhor quero que me faça ver o que deve ser feito se devo aceitar a proposta dele) Espero que me ajude está bem. Se quiseres entrar em contato comigo pelo meu email é so adicionar. serfalcons@hotmail.com ou serfalcons@gmail.com. Obrigado e um forte abraço.

Anônimo disse...

Sou financeira de uma clinica a 2 anos,hoje essa empresa se encontra mal das pernas, a dona me propos a fazer não sociedade mas sim uma tecerização de serviço eu abreria uma empresa para fornecer este serviço, ainda não discutimos sobre como sera divididos os lucros gostaria de um concelho de voces. muito obrigada! Rosario viaNna,mande resposta pelo e-mail rosario_radimagem@hotmail.com

Keylla disse...

Ola ja tinhamos uma empresa e então enrou um socio com 50 mil mas eu ja estava nela há 5anos,sempre dividiamos o lucro de tudo isso é certo?e agoramos estams querendo vender a empresa como faremos essa divisão do dinheiro será metade pra cada um?eu nao acho justo...mas tenho duvidas...pode me ajudar?vamos a exemplos se eu vender por 250 mil tera q haver divisão igual?aguardo

Anônimo disse...

oi

Anônimo disse...

oi estou vou fazer uma sociedade va tenho um salão em casa mais vou mudar para um ponto amiga quer abri em sociedadeela vai emtra co dinheiro mais e entrestado do marido dela mais vamos ter que pagar as duas mais ela so escova e pracha e pinta cabelo eu vou fazer tudo e ela quer que seija dividido o dinheiro meio a meio mia eu ja tenho muito material e troduto lavadorio estelhovou fica dia todo no salão ela não eu vou trabalahar mais o que vc acha

Anônimo disse...

Olá, me chamo Rayane gostaria de saber em primeiro lugar no que devo pensar antes de abrir um negócio para investir em sociedade?

Anônimo disse...

Olá bom dia!!

Estou numa situação um tanto delicada, comecei uma sociedade com minha amiga de infância a convite dela, estava indo td muito bem, mesmo sabendo que viríamos a ter discordâncias em certos momentos. Tive a infelicidade de perder esta minha amiga num acidente e no calor da emoção convidei a irma dela de 16 anos para trabalhar de alguma forma comigo, só que começamos com tudo, não paramos pra pensar em nada, devido também que só tínhamos em mente continuar o sonho dessa minha amiga, pois foi ela quem idealizou. Uns 2 meses depois do falecimento dela comecei a perceber que não seria tão fácil assim, principalmente para lidar com a irma que é mimada e mandona, tem um temperamento mto forte. A questão é que agora está fluindo o negócio mas trabalhamos apenas aos sábados. Ela estuda período integral, e eu poderia trabalhar de semana, então ao invés da sociedade estou pensando em propor uma parceria ou que ela trabalhe como free lance nas sessões que tivermos aos sábados. Poderia me dar seu parecer sobre minha história?
Agradeço e muito!!

Charbel Atalla Antonio disse...

Caro(a) anônimo(a): recomendo você considerar especialmente o indicado em dois parágrafos do artigo acima: o sobre distribuição dos lucros, e o seguinte, sobre os honorários, e mais o item 3 da matéria "Políticas na Empresa..." (veja no Índice).

Anônimo disse...

TO PRECISANDO TOMAR DECISÕES.
TENHO UMA EMPRESA DE MÓVEIS PLANEJADOS, PRETENDO AMPLIAR A MINHA EMPRESA COM UMA LOJA MAIOR. TENHO UMA MARCENARIA, ONDE FABRICA OS MÓVEIS E TENHO TAMBÉM UMA LOJA COM SHOU RUM MONTADO DOS MÓVEIS QUE FABRICO, A AMPLIAÇÃO SERIA TER UM ESPAÇO PARA ALÉM DOS MÓVEIS PLANEJADOS TER TAMBÉM MÓVEIS PRONTOS, TIPO ESTOFADOS, TAPETES E DECORAÇÃO, HOJE NÃO TENHO CAPITAL PARA ESSA AMPLIAÇÃO, MAS, TENHO UM AMIGO QUE TAMBÉM TEM UMA MARCENARIA, MAS QUE NÃO TEM LOJA, A MARCENÁRIA DELE TEM MAQUINÁRIOS MAIS POTENTES QUE A MINHA, ENTÃO PRETENDO CHAMÁ-LO PARA UMA PARCERIA OU SEJA PARA UMA SOCIEDADE, DAÍ SERIA A MINHA DÚVIDA COMO SERIA ESSA SOCIEDADE, ELE PAGARIA QUANTO, PARA ESTÁ NA SOCIEDADE? POR FAVOR QUERO UMA OPNIÃO

Alice disse...

Bom dia!
Bom demais seu texto, bem simples e direito, mas o que me sugere? Tenho uma loja montada a 03 anos, que deve ter em mercadorias +- 60mil. Ainda não está me dando lucro pois além de ter que me manter dela também, sou péssima na área financeira, confesso que estou bastante enrolada. Acontece que sugeri a minha nora, que está desempregada e entende de administração, trabalhar comigo e ampliarmos o negócio. Porém, ela não tem capital p/investir. O que seria ideal no nosso caso, p/futuramente não gerarmos problemas familiares? Poderia me dar uma luz, por gentileza?

Luciana Rabelo disse...

Boa tarde tenho uma duvida EUA tenho uma empresa de produtos para Alta temperatura ja faz 10 anos a 3 anos me mudei para is EUA e a minha irmā trabalha na loja pramim , nós damos muito bem Pago o salario dela certo e ela é registrada como ela ja entede tudo deixou tudo nas maos dela. Agora um ex Gerente do meu concorrente quer entrar de sociedade comigo ele entendo da area tecnica uma funcao que eu nāo tenho na loja , conheço is clientes do meu concorrente alguns sāo meus também , Enfim ele quer entrar de sociedade Mas nāo tem dinheiro ele quer entrar com a māo de obra dele me garantindo que pode está triplicando meu faturamento pelo fato de entender do negocio e ter clients para me trazer. Queria saber o seguinte o que eu do fazer posso está tendo ele,como socio no faturamento porem nāo passar para ele is 50% da empresa? Pq minha empresa hj vale 120 mil tem carteira de cliente e ja tem um faturamento minimo que paga todas as despesas da loja! O que eu faço ??? Como posso está fazendo essa sociedade ???