Eletricidade – noções básicas / linguagem

Charbel Atalla Antonio

Lâmpada de 220 volts ou 220 watts? Qual gasta mais?

Como a eletricidade está praticamente em tudo, é conveniente termos um mínimo de conhecimento a respeito. Para escolher o mais adequado, para gastar menos, por segurança.

ATENÇÃO: MEXER COM ELETRICIDADE É PERIGOSO. É COISA PARA PROFISSIONAL.

Linguagem – Conceitos

1. Potência - o que mais falamos em eletricidade, o que mais nos interessa, a Potência é a “força”, com que um aparelho, uma máquina, processa a sua função. Medida em Watts (W). Dizemos: um secador de cabelo de 500W, uma lâmpada de 100W, um aparelho de som de 200W, um carro de 80CV, um motor de 1/2HP. Uma lâmpada de 100W é mais forte que uma de 60W.
Aqui já vale a pena entender um pouco melhor do que estamos falando.
Primeiro, a forma mais usual, o nome mais usado para potência em eletricidade é o Watt. Mas também tem outros - “sinônimos” – os mais comuns sendo o HP (Horse-Power) e o CV (Cavalo-Vapor), ambos equivalentes a aproximadamente 740W cada um.
Segundo, a potência que uma máquina ou aparelho processa não é bem a que ele nos fornece. Isto depende da eficiência do equipamento. Assim uma lâmpada fluorescente nos fornece bem mais luminosidade (potência luminosa) que uma incandescente (comum) de mesma potência elétrica.
Terceiro: potência é um valor “instantâneo” – é mostrado por um ponteiro que para p/ mostrar o seu valor. Não é um valor acumulado – mostrado por um ponteiro que fica dando voltas..

2. Voltagem - outra palavra muito usada em eletricidade. Também chamada de Tensão. É o “alimento” que faz funcionar um equipamento. Que “empurra” a corrente elétrica. Que sustenta a potência. Que se transforma em energia. É a voltagem para a qual o equipamento foi projetado para trabalhar. Como o combustível “certo” para um automóvel de 80CV pode ser gasolina, álcool, diesel, etc., a força “certa” para uma lâmpada de 60W pode ser 12V, 110V, 220V, 380V, etc. Um combustível ou uma voltagem errada podem danificar um equipamento. Os flex-power e os multi-voltagens já são projetados para dois ou mais tipos de fontes de energia.

3. Energia - mais uma palavra bastante usada. Mede o consumo total, ou acumulado, o quanto se usa de eletricidade. É pelo que “pagamos”. A unidade usual é o KWh, igual a 1000Wh. É o consumo instantâneo totalizado pelo tempo de uso. Um carro que faz 10Km/litro gasta 2 litros para andar 20Km. Uma lâmpada de 100W acesa durante 3 horas gasta 300Wh, ou 0,3 KWh

4. Corrente e Resistência – essas palavras já são mais usadas pelos especialistas, pelos profissionais. Mas, não têm nada de complicado. E entendê-las pode ser muito útil. Resistência é praticamente o que o próprio nome diz: é a maior ou menor oposição que um elemento apresenta para a passagem de eletricidade, que por sua vez é a corrente elétrica. A corrente é medida em Amperes e a Resistência em Ohms.
Quanto menor a resistência, maior a corrente – na mesma proporção. Isso se quem estiver empurrando a corrente (a Voltagem) não mudar. E, mantida a mesma resistência, se aumentar a Voltagem, a corrente aumentará – também na mesma proporção. Esse raciocínio, matematicamente se escreve I=V/R (a Corrente é igual à Voltagem dividida pela Resistência) – a tal Lei de Ohm!

Gostou do artigo? e do Operando Bien?
Se desejar, você pode retribuir ou colaborar.

>>> Se você tiver perguntas ou quiser colaborar para o assunto com seu conhecimento e experiência, me mande um email ou publique aqui o seu comentário.

"Ainda é cedo"... mas se você já vai mesmo... > sair do Operando Bien

2 comentários:

Gabriela disse...

porque que fusível queima tanto?

Charbel Atalla Antonio disse...

Gabriela
Um fusível só deve "queimar" no caso de alguma avaria ou operação errada no circuito que ele protege. Se você tem algum fusível queimando c/ frequência, algo está errado - e deve ser "investigado", por um "profissional".